21.9.07

ironia primeira - Para quê conviver

se podemos, em vez disso, carregar em teclas e assim fazer a manutenção das nossas relações?



(ironia primeira deste blog)

Depois admiram-se com os conflitos e a solidão. No shit, Einstein!

8 comentários:

vague disse...

(glup)
ah pois.

shark disse...

E ainda se ao menos a manutenção das relações por essa via se revelasse mais eficaz do que na versão in the flesh...
Mas não, não revela.
E muitas vezes ainda acrescenta a hipocrisia despudorada aos restantes vícios comportamentais que nem as teclas conseguem filtrar.
E ainda lhe somamos os erros de interpretação e as conclusões baseadas na especulação daquilo que só conseguimos ler num olhar ou perceber pelo tom de uma voz.

Debbie Harry disse...

As pessoas refugiam-se nas sms's e mails e messengers para não terem de lidar com os outros pessoalmente porque lidar com os outros pessoalmente é lidarmos com as nossas próprias fraquezas. Questionarmo-nos dá muito trabalho e nós precisamos do nosso tempo precioso para outras coisas! Somos todos muito importantes e ocupados, como o personagem que fazia contas na história do Principezinho. Pois eu não sou assim e acho que mais vale ter uma estrela na mão do que contar 1000 à distância.

Etelvina disse...

hehee gostei deste ponto.
Mas é um facto que uma grande maioria de nós passa 8 horas por dia fechada num escritório, 2 no transito, 8 a dormir, 2 nos afazeres domésticos (isto se formos sozinhos)..... e as 4 que sobram, não dão para tudo (aínda não falei em tempo para o banho, dar atenção aos filhos, passear os animais, ler....)
Manutenção sim, mas sem negligenciar o contacto! Daí a palavra manutenção!
Já não vou falar dos casos das pessoas que vivem a distancias significativas como lisboa ou até outros países onde é mais difícil manter o contacto pessoal... entre falta de tempo e dinheiro, esta é a forma mais económica e rápida de, pelo menos, nos fazermos sentir. Pelo menos, há comunicação! ;) E isso, não deve ser minimizado!
Agora, se falas de relações "intimas" com seres virtuais, isso já compreendo melhor :D

Debbie Harry disse...

Falo de amigos que não vejo há meses sob a desculpa de "afazeres" que também eu tenho e que, mesmo assim, não me fazem desaparecer do mapa. Falo de uma gestão de prioridades que nos coloca a nós no centro e os "nossos" namorados e mais ninguém. Amigos em apuros, para quê convidá-los para sair se podemos dar-lhes o nosso apoio com uma sms a dizer "força"? Não temos de estar juntos todos os dias e abolir as sms. Mas nunca estarmos juntos ou pelo menos 1 vez por mês, vá, e depois acharmos que as sms bastam, eh pá, por favor. Quando tiverem filhos,por exemplo, vão deixar de ter vida? Isso não aconteceu comigo, e tenho uma filha com 10 meses. Todo o tempo que poupamos com as tecnologias é usado para actividades úteis ou proveitosas à nossa felicidade, que é, sempre e também, a dos que nos rodeiam?

Etelvina disse...

hehehehe gostei da resposta.
Será que posso ousar dizer que há aí alguma mágoa? Também não compreendo o porque das pessoas se fecharem nos "namorados a sério"...algo inevitável e que não conheço ninguem que não o faça, ou não o tenha feito, até ao dia em que acabou com o namorado/a e se apercebeu que estava sozinha/o. É um processo natural que todos fazem (não me venham com histórias do contrário). Resta esperar que aprendam com a lição :D
Isto dá pano para mangas... heheheh
Amigos em apuros... só os amigos verdadeiros é que respondem aos nossos chamamentos. São os momentos de aflição que nos fazem ver o que não queremos sequer imaginar (como me disseram uma vez: não sofremos desilusões, nós é que nos iludimos) ;) Há que procurar outros caso os que assumiamos como amigos nos falhem. Vais ver que serás surpreendida por quem menos esperas ;)
Falta de tempo para as outras actividades? Cada um tem a sua vida. Cada um de nós se rodeia com meia duzia de pessoas que considera indispensáveis. Os outros vão sendo ou não. As pessoas mudam, os gostos mudam e aquelas cumplicidades que achavamos eternas, mais dia menos dia deixam de ser.
A vida ensinou-me algo: nada é perene. Só o agora é que conta!
Quanto a teres uma princesa a teu cargo... imagina-te com um trabalho das 9 às 18h. Quererás mais alguma coisa para além dela a partir do momento em que chegares a casa? É complicado. Mas crescer, também implica aceitar que não somos assim tão fundamentais na vida uns dos outros e acima de tudo viver bem connosco próprios. Temos a consciencia tranquila de termos dado o nosso melhor. Se os outros não nos querem, alguem há de querer! ;)
Será que me fiz entender?!
Lá está, esta é uma sessão de 12 horas de conversa que aínda temos em falta ;)
Fico à espera dum tempinho livre para um chá :D
Bejos

Joana disse...

Já tinha lido este post, e quase podia jurar que tinha comentado, mas pelos vistos não... para mim nada substitui o contacto com as pessoas, apesar de passar a vida a falar contigo por sms. daqui a pouco vem o carrinho e lá vamos nós laurear!!! eu levo as fraldas para as duas!!:)

Debbie Harry disse...

Tu és a amiga por excelência. Chuac!