17.11.07

White Lies


Neste episódio, entre outras coisas interessantes, a Miranda queria arranjar uma companhia para ir ao casamento da Charlotte com o Trey. Resolveu recorrer àqueles quick-dates tão em voga em NY (hoje em dia até eu recebo mails de empresas a publicitarem quick-dates em aviões). Sempre que chegavam à parte do "o que fazes?" e ela revelava ser advogada, o desinteresse ou mesmo desprezo eram notórios nos rostos daqueles tipos interessantes e menos interessantes que se sentavam durante 5 minutos à sua frente. Até que, estando diante de um candidato novo, responde "sou hospedeira". E a conversa prolonga-se até à cama de Miranda, passando por um jantar à luz das velas.
É bem verdade que, quando nos estamos a conhecer, muitos factores influenciam o profundidade da relação que se estabelece(rá). E também se essa relação irá muito mais para lá dos primeiros momentos de comunicação. Se somos desempregados, historiadores, lavadores de janelas, porteiros de discotecas, etc.
Falo por mim, que muitas vezes me apercebo, nas expressões das pessoas com quem a vida me vai cruzando, que ser licenciada em História da Arte pode ser apelativo numas situações e totalmente desadequado noutras. E que a minha actual e efectiva opção de enveredar pelo caminho da prática da beleza, massagens e afins, pode ser igualmente repulsora ou passível de admiração.

2 comentários:

shark disse...

No que é que esse tipo de escolhas tuas pode influenciar nos outros seja o que for?
Tu és o que és ou aquilo que fazes?
Era só o que faltava...

Debbie Harry disse...

Não sei...