13.11.07

De dentro para fora, talvez parte I ou rabisco único

Precisava de ajuda para escrever sobre isto, mas arrisco o primeiro passo sozinha. Os vossos comentários ou a ausência dos mesmos me dirão se estou no bom caminho, na abordagem. De repente voltei a falar de sexo abertamente. Em muitos outros posts ele esteve subtilmente presente, mas nestes últimos o descarnar de pontos de vista foi explosivo. Aqui não falo sobre a minha vida através de nomes, moradas ou descrevendo pormenorizadamente os meus dias. Vou mais além, mais dentro de mim, digo-vos aquilo que sinto, o modo como vejo as coisas e elas me maravilham, magoam, comovem. Mesmo que ninguém me leia, fica tudo arrumadinho, para mais tarde recordar, e vale sempre a pena.
Reli algumas observações minhas. Parece que o sexo é uma forma de atingirmos os outros, às vezes. A redundância do apontar de erros e negligências. Claro que é muito mais, e fundamental. Vivi sempre em busca de prazer, num hedonismo desenfreado, que me deixou tantas vezes mal vista, outras tantas idolatrada (é favor darem o devido desconto à expressão e seu exagero). Estou aqui a pensar na questão da idade. Sim, fui muito mais imatura do que sou hoje, mas não estou à espera de nenhum prémio. Sei que perdemos e ganhamos, em tudo. E eu era, pura e simplesmente, pouco selectiva. Achava eu que não me deixava seduzir com facilidade e era verdade, mas seduzia demasiadas vezes só para ver se conseguia. E, principalmente, para ver se era sempre capaz de lidar com situações mais complicadas (na altura, sinónimo de excitação). Não sei onde me situo hoje, talvez naquele meio termo ou caminho até algo melhor, que eu quero escolher e apreciar (para bem dos dois supostos envolvidos). Porque a minha visão está menos "embaciada". Desejos todos temos. E eu não sou puritana. Mas não me cabe a mim, presentemente, o papel de predadora. É o que sinto. O resto, "ele" que descubra. Quem quer o côco, trepa.
Não estou interessada em falar de política, expressar pontos de vista culturais ou falar das minhas preocupações com solidariedade social. Não aqui. Para isso existem blogues muito mais experientes e esclarecedores. Irei sempre dar de mim, assim, de dentro. Apenas isto. Talvez seja o meu modo de dizer-vos que só faço aquilo que me apetece. Como vocês.

6 comentários:

hobbes disse...

acho muito bem que o continues a fazer..
falar de ti..
ou daquilo que pensas sobre coisas que experienciaste..

shark disse...

Eu gosto do teu blog. :-)

shark disse...

Ah, e leio. Mesmo quando se torna claro que não faço a mínima ideia do que estás a falar... :-)

Debbie Harry disse...

Menina Hobbes, obrigada:-)
Shark, é recíproco.

Debbie Harry disse...

E não fazes ideia do que eu estou a falar? Fogo...

shark disse...

Estava apenas a poupar um comentário, com uma alusão na paródia ao post de cima.
E embora não seja um esmero de perspicácia, não acredito que me acredites tão bronco assim ò gaita! :-)
Adoro este estilo de escrita, como tens obrigação de saber, e não tou pra andar aqui a exprimir às claras a forma como ando ofuscado pelo teu brilhantismo.
E se tens dúvidas pergunta que eu não respondo com uma pergunta também... ;-)