5.8.08

- Lembro-me que houve duas coisas que me chocaram tanto que eu nunca mais esqueci. Encontrei uns papéis manuscritos por ele em que se dividiam, entre duas listas o nome de duas raparigas. Em cima lia-se "+" e "-" e depois, de acordo com o que cada uma possuía (de melhor ou pior) que pudesse encaixar nessas colunas, ele marcava um "x". As categorias eram: dentes/dinheiro/gastadora/cabelo/cama/casa/família. Pelo menos as que me lembro. Depois outra coisa eram os e-mails de uma delas, depois da relação encetada e acabada, e depois de também a outra ter sido deixada, em que ela dizia repetidamente: "porque me escondes dos teus amigos? porque ninguém me pode conhecer e saber que sou tua namorada?". Acho que fiquei tão chocada porque nunca tinha estado em contacto com uma realidade tão diametralmente oposta à minha, à que eu conhecia e reconhecia nas pessoas que me rodeavam. Acho que a pessoa mais desesperada ali era mesmo ele. O calculismo pode mesmo ser um grito de desespero quando não é correctamente assimilado.
- O que é para ti correctamente assimilado?
- É quando começas a ter uma ou outra atitude calculista ou mais racional porque já passaste pelo outro lado quase até ao extremo. Quando te sentes capaz de dosear e de te respeitares e respeitares os outros. Acho eu.

1 comentário:

finestamp disse...

se for equilibrado é imperceptível, digo eu