9.9.07

Terceira Ficção

Ela
pensamento:
- Mas porque é que trouxe este vestido? Mal me consigo sentar no chão.
Acomoda-se na relva com uma toalha. Descalça as sandálias e mete os dedos das mãos nos espacinhos entre os dedos dos pés. É tão bonito gostarmos de nós. A paisagem tem mar e rio. E segredos para desvendar. Ali ao lado
Ele
pensamento:
- Que livro secante, vou parar de ler mas não gosto de deixar livros a meio.
Ela:
pensamento:
- Porque é que um rapaz tão bonito usa calções e chinelas e não olha para mim? "O Deus das pequenas Coisas?". Túnica indiana? Oh meu deus, não. Adoro este vento fresco.
Ela tem caracóis. Sonhos. A memória de tudo o que doeu perde-se, com o olhar no rio. Sem mágoas.
- Sou tão esperançosa.
Sorri. Está completa e irremediavelmente ligada a tudo o que a rodeia, com amor. Árvores, céu, rio, mar, crianças a brincar. Tudo a percorre. Por dentro. Ligada ao mundo.
Ele
está completa e irremediavelmente ligado a tudo o que o rodeia. Mas ainda não sabe olhar em volta.

3 comentários:

Etelvina disse...

hehehehe ;)
bejos

s. disse...

gostei. muito bem escrito apesar de às vezes me ter sentido um pouco perdido no meio das frases.

"é tão bonito gostarmos de nós."
e tão dificil

Debbie Harry disse...

:-)S. de sinceridade.