17.6.08

A rapariga que...

Fui finalmente ver o My Blueberry Nights e apesar do pouco assombro que senti, retive algumas linhas, entre elas:
"Como te lembrarás de mim? Como a rapariga que gostava de tarte de mirtilo? Ou como a rapariga que tinha o coração despedaçado?"
Na faculdade eu achava que as pessoas me conheciam pela "rapariga que tinha um piercing". Mas isso não interessa. Depois havia quem dissesse "a rapariga perigosa". Nada mais errado. Gostava mesmo era de saber qual a impressão que deixo em quem me vai conhecendo hoje em dia, porque sinto que me mascaro cada vez menos. Não estou a falar sobre se gostam de mim ou não (apesar de isso ser importante), se eu disse as coisas certas ou falei nos momentos errados. Mas o que é a minha ausência para aquelas pessoas que eu própria recordo. E quem sou eu nas vossas ideias de mim.

1 comentário:

finestamp disse...

o mais importante é saberes quem és tu para ti.... oh é mentira. importa demais quem é para os outros...eu tb acho isso de mim.