19.7.08

Tempos há que nos mudam a vida por serem eles próprios a vida a acontecer. Carências que se pagam com fascínios que não dão em nada. Enganos e encontrões em pessoas dúbias como nunca seremos. Tempo para sermos ambiciosos e exigirmos de nós o melhor. Apagar tudo o que cheira a mofo no telemóvel, no mail, rasgar os papéis idiotas que só nós guardamos. Perceber que o dinheiro serve para outras coisas, coisas muito mais importantes. Quero lá saber se alguém entende isto.

3 comentários:

finestamp disse...

digo-te por mail aquilo que acho, ok?

extravaganza disse...

Como comer uma bela francesinha no Piolho D'Ouro! ;)

Sim, porque aquele não é um Piolho qualquer! "É de Oiro, menina, é de Oiro..."

vague disse...

a liberdade é isto, querida. liberdade de ser e de ousar tocar o essencial, a pureza bruta das coisas e não querer saber se alguém nos entende nessa busca.